terça-feira, 12 de junho de 2007

Regulamento da 1a. Gincana de Integração do MEC


Regulamento da 1ª Gincana de Integração do MEC

Art. 1º – A 1ª Gincana de Integração do MEC, promovida pelo Programa de Valorização do Servidor (PVS), propõe-se a ser um evento de confraternização e de superação de desafios, onde atividades culturais e esportivas devem promover a integração dos colegas lotados nos diversos órgãos e entidades vinculadas do MEC.

Art. 2º – Cada Equipe deverá ser formada por no mínimo 20 (vinte) e no máximo 30 (trinta) participantes, sendo que, de modo a promover uma maior integração, estas devem ser compostas por colegas lotados em mais de um órgão ou entidade vinculada e situados em Brasília/DF.

Art. 3º – A gincana será realizada entre os dias 20 e 30 de junho de 2007, sendo que será divulgada, no mínimo, 1 (uma) tarefa diária, sempre às 18 horas, no Blog da SAA (endereço eletrônico http://blogdasaa.blogspot.com/).

Art. 4º – A inscrição das Equipes será realizada conforme “Tarefa Especial de Inscrição”, no período de 12 a 19 de junho de 2007, conforme abaixo.

Art. 5º – A Comissão Organizadora da gincana será responsável pela elaboração, divulgação e avaliação das tarefas.

Art. 6º – O resultado final da gincana será divulgado após as 18 horas do dia 30 de junho de 2007, considerando-se vencedora a Equipe que tiver somado o maior número de pontos no conjunto de todas as tarefas. Em caso de empate, o desempate será por sorteio.

Art. 7º – A premiação consistirá em troféus a serem entregues às 3 (três) Equipes mais bem-colocadas.

Art. 8º – Os casos omissos neste regulamento serão resolvidos pela Comissão Organizadora.


Tarefa Especial: Inscrição
A inscrição da Equipe acontecerá mediante o envio para a conta de e-mail pvs.saa@mec.gov.br de endereço de sítio internet da Equipe, que deverá conter:
a) nome/identificação da Equipe;
b) nome completo, lotação, e-mail e telefone para contato de 2 (dois) Representantes da Equipe junto à Comissão Organizadora;
c) relação de membros da Equipe (nome completo e lotação);
d) 1 (uma) foto onde deverão aparecer todos os membros da Equipe.
A Tarefa Especial de Inscrição valerá 100 (cem) pontos.


Comissão Organizadora:
a) Ana Cláudia Salomão da Silva – SAA;
b) Cristiane Gonzaga Chaves – SAA;
c) Espartaco Madureira Coelho – SAA;
d) Gérson Cabral de Oliveira – SEED;
e) Marta Pereira – SEESP;
f) Osana Gorete Nunes de Almeida – SAA.

9 comentários:

Valéria Barros Nunes disse...

Achei genial a idéia da gincana, estamos tentando montar uma equipe.

xavier disse...

olá boa tarde!

Já foi realizado essa semana um concurso de frase dos dias do namorados, agora vem uma gincana, logo virão as festas juninas...julinas.

Quando realmente começa o processo de VALORIZAÇÃO DOS SERVIDORES?

É preciso buscar elementos técnicos-científicos (sair do senso comum) e trazer os servidores para uma reflexão séria sobre o MEC...Sobre o seu papel... Sobre sua função a cumprir nesse Ministério e na sociedade como um todo. Não há que esperar mais, senão a "SAFRA SE PERDE" mais uma vez. Vejo em muitos colegas antigos cenários nada animadores em vários aspectos...Não quero fazer parte desse universo no futuro...Não se pode perder esse momento: onde há uma luz no fundo do túnel.

A educação não pode esperar mais pois o preço que a sociedade paga pelo seu fracasso é alto e transcede sua esfera. Somos os atores que diretamente precisam, embora aida na pefiferia, responsáveis por isso e temos que somar força no e da Nação, tanto como servidor quanto com cidadão. É preciso trabalhar a formação dos servidores à luz dos novos desafios que a empresa pública precisa enfrentar no atual contexto social.

Enquanto servidores se organizam para a gincana (seguindo a lógica do PVS/SAA), os consultores estão discutindo EDUCAÇÃO (PDE, mudança da LDB (CNE), PNE, etc). Aliás estão sendo treinados com verbas públicas para fazer o trabalho que nós especialistas temos toda condição de fazer.

Nesse momento estão sendo treinados na 608 sul cerca de 90 consultores que atuarão na SEB em atividades do Plano de Desenvolvimento da Educação - PDE. Valorizar servidor é dar condição de trabalho, é diminuir as humilhações diária que muitos são submetidos diriamente.

Tenho pouco tempo de vida pública como funcionário, mas conheço o retrato da realidade que estamos inseridos e que MUITOS QUEREM QUE CONTINUE ASSIM COMO ESTÁ - Isso é bom para um minoria!!!

É lamentável que percamos tanto tempo com caminhos toscos quando há um caminho certo a seguir Quando realmente começa o processo de VALORIZAÇÃO DOS SERVIDORES?

É preciso buscar elementos técnicos e científicos (sair do senso comum) e trazer os servidores para uma reflexão séria sobre o MEC...Sobre o seu papel... Sobre sua função a cumprir nesse Ministério e na sociedade como um todo. Não há que esperar mais, senão a "SAFRA SE PERDE" mais uma vez. Vejo em muitos colegas cenários nada animadores em vários aspectos...Não quero fazer parte desse universo no futuro...Não se pode perder esse momento: onde há uma luz no fundo do túnel com entrada de novos dirigentes.

A educação não pode esperar mais, porque o preço que a sociedade paga pelo seu fracasso é alto e transcende sua esfera. Somos os atores que precisam ser inseridos, no momento estamos na periferia, nos processos das políticas educacionais desse Ministério. Os servidores têm responsabilidades e capital humano para isso

É preciso trabalhar a formação dos servidores à luz dos novos desafios que os órgãos públicos precisam enfrentar no atual contexto social.

Enquanto o PVS organiza a gincana, os consultores (sem vínculo com MEC) estão discutindo EDUCAÇÃO (PDE, mudança da LDB (CNE a partir de amanhã), PNE, etc). Aliás os consultores estão sendo treinados com verbas públicas para fazer o trabalho que muitos de nós especialistas temos toda condição de fazer.

Valorizar servidor é dar condição de trabalho; é diminuir as humilhações diárias a que muitos são submetidos. Quando que o PVS irá se manifestar sobre isso....?

Nesse momento estão sendo treinados na 608 (asa norte) cerca de 90 consultores que atuarão na SEB em atividades do Plano de Desenvolvimento da Educação – PDE, muitos de nós estamos aqui usando nossos conhecimento para atender telefone, organizar gincana e marcando passagens deles! No próximo ano, renovarão os contratos ou contratarão novos consultores fundamentados nos mesmos argumentos: não há “quantiqualitativamente” servidores aptos para essa função. Paradoxalmente não há uma política séria de treinamento de servidores e ainda deixa-se expirar um concurso sem contratar quadro suficiente de servidores.




Tenho pouco tempo de vida pública como servidor, mas conheço o retrato da realidade que estamos inseridos e que MUITOS QUEREM QUE CONTINUE ASSIM COMO ESTÁ - Isso é bom para uma minoria.

É lamentável que percamos tanto tempo com caminhos toscos quando já se sabe caminho a seguir...O GRUPO MOVATE - do qual faço parte - tantas vezes já apontou.

Quando essa Coordenação quiser falar de coisas sérias pode contar comigo, mas gostaria, em princípio, de não receber convite dessa natureza.

Desculpe-me, mas estou sendo verdadeiro. Ainda quero um dia escrever um elogio a uma boa iniciativa dessa coordenação.

Reitero que estou a disposição para contribuir para uma boa causa, SEMPRE!

“Os homens fazem história, mas não sabem porque a fazem” Karl Marx

Xavier Neto
Técnico em Assuntos Educacionais

Servidora aposentada disse...

Os homens e as mulheres fazem história. Se Marx não teve, historicamente, condições de perceber isso, nós temos obrigação de lembrar. Pelos tempos em que vivemos.
Concordo plenamente com as opiniões acerca da valorização do servidor expostas pelo companheiro Xavier, do MOVATE, movimento que respeito.
No entanto, as atividades políticas de valorização do servidor, ainda que prioritárias, não invalidam as atividades culturais e de lazer.
Na verdade, valorização do servidor deve se dar em várias áreas: politização, questões salariais, capacitação, educação, saúde, qualidade de vida, enfim. Lazer está incluído em qualidade de vida, é o meu entendimento. Por isso, digo: reivindicar que o PVS atue em todos os setores é justíssimo. É direito dos servidores. Agora, ignorar atividades de lazer, achando-se muito importante e intelectual, desprezando o lado lúdico do ser humano, é burrice.
Que venham espetáculos de música, que venham as brincadeiras, que venham as gincanas. Mas que também venha a discussão política sobre a valorização do servidor e do serviço público.

Espartaco-MEC disse...

Tudo tem o seu tempo determinado,
e há tempo para todo o propósito debaixo do céu.
Há tempo de nascer, e tempo de morrer;
tempo de plantar, e tempo de colher;
Tempo de matar, e tempo de curar;
tempo de derrubar, e tempo de edificar;
Tempo de chorar, e tempo de rir;
tempo de prantear, e tempo de dançar;
Tempo de espalhar pedras, e tempo de ajuntar pedras;
tempo de abraçar, e tempo de se afastar;
Tempo de buscar, e tempo de perder;
tempo de guardar, e tempo de jogar fora;
Tempo de rasgar, e tempo de coser;
tempo de silêncio, e tempo de falar;
Tempo de amar, e tempo de odiar;
tempo de guerra, e há tempo para a paz.

Eclesiastes 3

Karin disse...

Como TAE da REMEC/SP, hoje em exercício na Universidade Feral do ABC, entendo perfeitamente a angústia do colega Xavier.
Por muito tempo tentamos (alguns TAEs da REMEC/SP) espaço para colocar nossas angústias, que muito coadunam com as colocações apresentadas, mas em São Paulo ficávamos marginalizados (e não só por uma questão geográfica). Não tínhamos notícias das discussões de Brasília, que dirá voz.
Por esse motivo, fiquei bem contente quando passei a receber as mensagens do MOVATE, não só por poder saber o que está acontecendo, mas especialmente pelas causas e conquistas do Movimento.
Entretanto, concordo com a manifestação da servidora aposentada, um programa de valorização do servidor pode incluir atividades de lazer, arte, cultura ... aliás, podem ser ótimos momentos de socialização, interação e aparecimento de boas idéias.
Por isso, aproveito para parabenizar a nova coordenação da SAA pelas iniciativas, em especial pela criação do blog! Torço para que seja realmente um espaço para “boas” discussões!

Anônimo disse...

A borboleta continuará a pairar sobre o campo e as gotas de orvalho ainda brilharão sobre a relva quando as pirâmides do Egito estiverem destruídas.
Gibran Kalil Gibran

Caetana disse...

Boa a idéia da gincana. Boa também a idéia de uma festa julina. É bom que os consultores sejam bem treinados e trabalhem bem e façam jus ao que irão receber. Melhor ainda que os servidores sejam valorizados com uma carreira, com formação continuada e que seus salários sejam o reflexo dessa valorização. E que os consultores sejam contratados para consultas e os servidores para o serviço da administração.
É bom quando os que gritam por uma escuta sensível se mostram capazes de escutar com sensibilidade. Melhor ainda quando todos se ouvem.
Mas é difícil. O dialogar é difícil. Incomoda. A todos. Precisa ter momentos de silêncio e de som. Pausas e notas. E muitas vezes tem harmonias muito dissonantes ou nenhuma harmonia. Acontece no tempo, junto com todos os ruídos.

Marcos disse...

BOM DIA!
Estou no MEC a 13 anos. Sempre gostei muito desta instituição, mesmo porque foi por meio dela que consegui conquistar os meus bens materiais. Certa vez encontrei uma aposentada reclamando muito do seu provento, na ocasião lembro-me que disse para ele a seguinte frase: "por que a senhora está tão amargurada, o MEC não te obrigou permanecer nele". o que quero dizer hoje com a lembrança deste fato é que se você não está satisfeito com esta instituição, então se esforce procure algo de acordo com as suas aspirações. Não espere que os outros procure por você, vá a luta!
Detesto murmurações ou lamúrias. Nós somos responsáveis pelo nosso sucesso. invista em você.
sabe o que está faltando no meio de nós?
- AMOR. Você e eu precisamos redescobrir isto. O MEC É UMA BENÇÃOS, PARA TODOS AQUELES QUE SÃO GRATOS.

Anônimo disse...

Achei interessante o comentário de Marcos. O Comodismo não pode fazer parte de nosso dia-a-dia. Esse negócio de: "O MEC não te obrigou permanecer nele" não tem nada a ver. Pertencemos a essa instituição e o fato de estarmos no MEC buscando melhores condições de trabalho e reclamando de algumas ações, tendo algumas insatisfações não quer dizer que devemos sair do Ministério da Educação. Precisamos valorizar o nosso local de trabalho e sempre lutarmos por melhorias.
E mais, é muito interessante a idéia da Gincana, do Concurso de frases... Todas essas ações contribuem de alguma forma para nossa valorização. Lembrando sempre, que não devem se limitar a isso.