quarta-feira, 27 de junho de 2007

1ª Gincana de Integração do MEC - Tarefa nº 8


Tarefa Nº 08 – Tangram e Jogos na Internet (27/junho/2007)

Etapa 1:

Apresentar, na Sala de Reuniões da SAA, em no máximo 30 minutos, o maior número de minilanternas (ou seja, com até 10 cm de comprimento) e espelhinhos de maquiagem.

Pontuação: 10 pontos por objeto válido.

Etapa 2:

Entregar, na Sala de Reuniões da SAA, às 17 horas do dia 28 de junho de 2007, envelope lacrado e identificado “Equipe Nº xx – Tarefa Nº 08”, contendo:

I - figuras formadas pelas 7 (sete) peças do Tangram e coladas em folhas de papel A4, conforme abaixo:


II – impressão, em folha de papel A4, das telas finais de 3 (três) jogos disponíveis nos endereços eletrônicos, conforme abaixo:

d) Jinx – Episódio 1 (http://www.ojogos.com.br/games/6/8/026786.html);
e) Hapland – Episódio 1 (http://foon.co.uk/farcade/hapland/);
f) Crimson Room (http://www.fasco-csc.com/works/crimson/crimson_e.php).

Pontuação: 20 pontos por item atendido.

3 comentários:

Anônimo disse...

Gente, me desculpem, mas essa é a gincana mais idiota que já vi na minha vida. Onde estão as provas inteligentes, que levem a organização pública a algum lugar mais à frente? Só vejo bobeiras, alienações... infelizmente. Integração? Onde está? Os grupinhos que se formaram já eram herméticos por si só... Onde vamos parar dessa forma? Dançando "egüinha-pocotó" para o Ministro ver na festa de final de ano?

Anônimo disse...

Este ganha o primeiro prêmio: Troféu Tamarindo!

Valiosa disse...

Confesso que não me sinto idiota buscando aprimorar minhas habilidades para utilização de instrumentos e equipamentos de serviço de forma lúdica. Até por que as ações inteligentes da organização pública são as que executo em meu trabalho, estou tranqüila quanto à isso. Para aprimorar minha inteligência fico atenta à oportunidades que me permitam ampliar minha zona potencial (VYGOTSKY), o que não é possível sem um certo role-play, sem criatividade, sem imaginação. Além disso a gincana é uma rara oportunidade de conhecer melhor os focos de competência e os talentos das pessoas que trabalham comigo no ministério. De forma espontânea as pessoas deixam transparecer eficiências que muitas vezes ficam oprimidas até pelo estresse causado por colegas que não compreendem nada do porcesso criativo e ainda assim se acreditam capazes de criar um Estado competente.

Enfim, a forma é outra, o objetivo está claro: integrar pessoas. Integrados somos melhores e mais fortes. Quem não se mexeu é porque tem afinidade com outras formas de integração. todas igualmente valiosas, hehehe


Valéria (nada anônima porque encara todas!)
hahahahaha